sábado, 9 de abril de 2016

Euro Afro Brasil

Bem , não acredito em bandeiras que segregam, não acredito em lutas que erguem muros no lugar de construir pontes, se no passado erramos nada podemos fazer é passado , mas se no futuro ainda erraremos é uma decisão a ser tomada no presente.


Como sempre repito e vou repetir até morrer , meu avô de mãe era brasileiro, negro, neto de escravo. Já meu avô paterno era branco,  europeu,  imigrante vindo de Portugal, logo por que eu deveria exaltar só me Tataravô branco europeu, se eu não faço ideia de que pais da Africa veio meu Tataravô negro escravo? Não tenho que exaltar de onde eles vieram , mas de onde eu , que sou resultado dessa junção, vim. E eu sou do Brasil , não sou da África , não sou de Portugal , eu sou do Brasil ! 

Eu cresci entre esses 2 homens que me ensinaram muita coisa mas a maior de todas foi a respeitar o outro pelo que o outro é e não pela melanina .

Não acredito em grupos que se isolam entre si para lutar por igualdade , pois creio que o 1º o passo para a igualdade seja exatamente se ver e se tratar sem distinção, sem essa segregação ...

O Brasil é a maior mistura de povos do Mundo , todas as raças trouxeram seu legado , não apenas europeus , nem apenas africanos , mas asiáticos e orientais também .


Somos branco do cabelo sarará, somos negros do olho verde, somos ruiva de pele morena, somos chineses meio mulato... Somos assim essa etnia embolada, na nossa etnia, naquele espacinho da certidão de nascimento que pergunta a cor da pele, não cabe, não devia caber,  apenas branco negro ou pardo , na nossa etnia devia vir escrito o mesmo quer a nacionalidade ... brasileiro!

Somos ricos no tamanho, somos ricos na natureza , somos milionários na cultura que desenvolvemos a partir de contribuições do mundo inteiro,  mas precisamos ser ricos na aceitação da irmandade, respeitar a identidade da diversidade e enxergar-se na igualdade da humanidade.

Eu quis fazer o ensaio EURO AFRO BRASIL , abordando a junção Brasil da Europa com a Africa , porque são as 2 maiores contribuições que tivemos , dos muitos imigrantes, vindos dos muitos países da Europa que vieram pra cá por opção ou fugidos de conflitos e dos muitos escravos de muitos países da Africa que vieram parar aqui sem opção, mas que trouxeram seu legado.

Então essa é minha contribuição, essa é minha representação visual do que eu acredito , vivo e prego . . .

Tá na moda o mama africa , mas não lute pela Africa mais do que lutaria pelo Brasil, pois se seus ancestrais vieram da Africa, você veio e vive no Brasil.

Tá na moda exaltar-se europeu , mas não lute pela Europa mais do que deve lutar pelo Brasil , pois se seus ancestrais vieram da Europa, você veio e vive no Brasil.

Digo isso porque tenho sentido que está ocorrendo uma inversão , estamos esquecendo quem somos, estamos esquecendo que somos daqui , não dali ou acolá.

Entenda-se, ame-se, promova-se, enxergue-se como integrante de um povo misturado.

Para que o BRASILEIRO seja respeitado, ele precisa antes de mais nada se comportar como brasileiro , assumidamente um povo miscigenado , somos brasileiros,  não importa que cor de pele temos , temos todas as cores de pele, que cabelo o brasileiro tem ? Todos os que existirem .

Hoje cedo eu vi uma reportagem de imigrantes e o porque eles não querem voltar para seus países, confesso que até senti mais orgulho deles do que de muita gente daqui, pois eles amam e respeitam a terra de onde vieram, mas amam e respeitam a terra que os acolheu. E nós ?

Então , pra falar isso , pra falar desse mundo que eu acredito ser possível, mas que antes tem que haver um Brasil possível , Desenvolvi o ensaio . . . Euro Afro Brasil.



Não somos branco , amarelo ou negro , 

Somos o mundo todo, somos o mundo inteiro,

Somos todos os povos nesse povo único que se chama BRASILEIRO.



Participações de :

  1. Flavia Souza
  2. Thales Azevedo
  3. Isabela Cintra Costa
  4. Daniel Braga

Agradecimento a Flavia e sua mãe que produziram os looks de inspiração afro, agradecimento a família de Isabela que não apenas animou a tarde com suas simpáticas presenças , como também acharam a mochila que eu havia perdido com valores e documentos.